Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Moldagem odontológica: veja quais são os procedimentos adequados
A moldagem odontológica é um trabalho comum nos consultórios, pois é uma etapa importante para muitos tratamentos. Neste post mostramos os procedimentos necessários para uma técnica bem executada!
Navegação Rápida

Apesar de a moldagem odontológica ser um procedimento comum nos consultórios, é fundamental que o dentista realize as etapas corretamente e utilize os materiais adequados. Isso porque é um processo delicado, que exige também a colaboração do paciente; assim, é papel do profissional também saber como preparar e tranquilizar a pessoa.

Sem contar que um trabalho de qualidade otimiza o tempo do dentista, evitando, por exemplo, ter que refazer o molde por conta de alguma falha no processo. Garante também um bom resultado para o tratamento a ser realizado, como o ortodôntico, protético, de lentes de contato, entre outros.

Quer entender melhor qual é a importância da moldagem odontológica, como realizar essa técnica de maneira eficaz e também como escolher os melhores materiais? Acompanhe nosso post e tire suas dúvidas!

O que é moldagem odontológica?

É uma técnica utilizada amplamente pelos dentistas que tem como objetivo fazer a reprodução exata das estruturas bucais, como a anatomia das arcadas, do osso basal e das coroas dentárias.

O procedimento é realizado como uma etapa importante nos tratamentos de:

  • prótese total;
  • ortodontia;
  • lentes de contato;
  • enceramentos para planejamento de caso;
  • facetas dentárias;
  • coroas;
  • prótese parcial removível.

Qual é a importância de fazer uma boa moldagem?

A moldagem odontológica é uma etapa essencial para a realização de diversos tratamentos e seu sucesso clínico. Por isso, deve ser um procedimento muito bem executado, ou seja, o dentista precisa saber a técnica e escolher os materiais mais adequados.

A forma como o procedimento é realizado depende do tipo de moldagem e tratamento. Existem moldagens anatômicas, funcionais, para clareamento, prótese, prótese sobre implante, entre outras.

“Inicialmente, o dentista precisa saber qual o material e a técnica de moldagem serão utilizados e quais são mais indicados para um determinado tratamento, pois cada um requer uma solução específica”, destaca Dr. Daniel Moreira, cirurgião-dentista, pós-graduando em Prótese Dentária e Implante Dentário.

Quais são os procedimentos necessários para uma moldagem odontológica eficiente?

De acordo com Dr. Moreira, para uma moldagem odontológica eficiente, é necessário:

  • seleção da moldeira pré-fabricada correta para a arcada do paciente (a escolha errada prejudica a qualidade do resultado);
  • escolha do material de acordo com o tratamento que será realizado;
  • manipulação correta dos materiais;
  • uso da quantidade certa de material, de acordo com o que vem especificado na bula do produto.

Como essa técnica é desconfortável para muitos pacientes, o fato de a pessoa não permanecer imóvel ou ficar nervosa no procedimento são os principais obstáculos para um bom trabalho. A situação pode ser mais crítica com as crianças.

Dessa maneira, faz parte desse procedimento saber lidar da melhor forma com os pacientes, tranquilizando-os e fornecendo todas as orientações necessárias.

No entanto, Dr. Moreira alerta também para a falta de preparo do dentista com a técnica: “Um dos maiores problemas com moldagens não é o paciente, mas a própria inexperiência ou falta de prática do profissional”.

A formação na graduação, acrescenta ele, deixa muito a desejar em relação às moldagens. “Muitos dentistas apresentam dificuldade com a técnica e no ato de moldar adequadamente. Mas, com o preparo correto, as chances de erros diminuem bastante”, salienta.

O que é preciso analisar para se certificar de que a moldagem feita é de qualidade?

Problemas na execução da moldagem odontológica podem comprometer o tratamento. Por isso, é importante que o dentista consiga identificar detalhes que comprovem a qualidade do procedimento.

“Uma moldagem eficiente tem as seguintes características: ausência de bolhas, boa precisão da área copiada e consistência adequada, ou seja, medidas incorretas de produto podem deixar o molde mais fluido ou seco”, explica o cirurgião-dentista.

Como escolher os melhores materiais para fazer essa técnica?

Entre os materiais tradicionais mais utilizados para a moldagem odontológica estão:

  • alginato;
  • silicone;
  • godiva.

Mas como escolher o mais adequado para cada tratamento? Segundo o Dr. Moreira, em moldagens para instalação de aparelho ortodôntico, por exemplo, é possível usar silicone, porém escolhe-se o alginato para não encarecer o procedimento. “Da mesma forma ocorre na confecção de moldeiras para clareamento, uma vez que não é necessária uma alta precisão na moldagem”, acrescenta.

O dentista explica que, para tratamentos de lentes de contato, facetas, prótese fixa, coroas etc., é importante investir em um material de moldagem que garanta mais precisão — como o silicone de adição. “Esse material não vai distorcer como os outros tipos, que perdem água com muita facilidade. Além disso, ele é mais fiel à cópia”, comenta.

O silicone de adição apresenta diferenciais em relação aos outros materiais de moldagem. Com ele, o trabalho ganha extrema precisão, além de estabilidade dimensional.

No caso das próteses totais, a primeira moldagem pode ser feita com o alginato, mas na segunda o recomendado é usar silicone, lysanda ou godiva. “Para prótese fixa, utiliza-se silicone (pesado e leve), de preferência, o de adição”, orienta Dr. Moreira.

Quais são as diferenças entre a moldagem odontológica digital e a tradicional?

Atualmente, alguns consultórios deixaram de utilizar a moldagem odontológica tradicional por conta das inovações da odontologia, como a moldagem digital. “Ambas são eficazes, mas a digital requer um scanner intraoral. Por conta do custo elevado do equipamento, a maioria dos consultórios ainda não o utiliza — a menos que o serviço seja terceirizado”, afirma o cirurgião-dentista.

Comparando os dois tipos de procedimento, a moldagem digital tem a vantagem de ser muito mais rápida, já que ela é transferida para o computador. “Dessa forma, pode ser enviada para o laboratório, que, se tiver uma fresadora 3D ou impressora 3D com resina, consegue imprimir os modelos”, destaca Dr. Moreira.

Apesar dessa agilidade, ainda não é uma realidade para muitos dentistas, que conseguem fazer um bom trabalho do modo tradicional. “Esse cenário deve mudar e a tecnologia será incorporada aos processos de forma mais ampla nos próximos anos”, finaliza o cirurgião-dentista.

A realização da moldagem odontológica de forma tradicional deve ser feita com muito cuidado pelo dentista. Isso porque é um trabalho detalhado que deve reproduzir fielmente as estruturas bucais do paciente. Dessa maneira, é imprescindível que o profissional realize todas as etapas de forma correta e utilize os materiais mais adequados para cada tratamento.

Quer mais algum esclarecimento sobre os materiais utilizados na moldagem odontológica? Entre em contato com a nossa equipe e tire suas dúvidas!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Patrícia Lameirão

Patrícia Lameirão

Analista de Marketing Yller Biomateriais

Deixe um comentário