Tipos de restauração Dentária: materiais e equipamentos indicados
A restauração dentária tem como objetivo suprir o papel de uma estrutura faltante do próprio dente. Para entender um pouco mais sobre os tipos disponíveis, leia este artigo até o final. Vamos lá?
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A restauração dentária é um processo importantíssimo. Para quem não sabe, o procedimento é feito com o objetivo de restaurar a função, morfologia e integridade do dente.

Bem, sabendo disso, você deve estar se perguntando por que deve ser feito, certo? O objetivo dessa iniciativa é suprir o papel de uma estrutura faltante do próprio dente, sendo que as principais causas são as cáries e traumas externos.

Ainda assim, existem diversos tipos de restauração — e cada uma conta com peculiaridades. Se você não acredita, então saiba que existem materiais e equipamentos mais indicados para cada caso. Para se informar sobre melhor sobre quais são eles, não deixe de ler este artigo até o final.

Quais são os tipos mais comuns de restauração dentária?

Restauração direta

A restauração direta começa removendo a parte do dente que está deteriorada. O trabalho é feito por meio de brocas de desgaste de esmalte e dentina. Depois disso, o dentista realiza uma limpeza da área e preenche a cavidade com um material restaurador.

Embora seja comum, nem sempre a técnica é a melhor opção. Quando a cavidade é muito grande quando comparado ao tamanho do dente, então, é mais recomendado seguir com uma restauração indireta ou outros tratamentos. Os materiais mais utilizados são: resina, inômero de vidro e amálgama.

Restauração indireta

Na técnica indireta, o dentista começa fazendo um preparo do local. Em seguida, é feita uma moldagem do dente para encaminhar a um laboratório de prótese para confecção (ou ainda realiza na própria clínica por meio das impressões em 3D) e reparos. Depois disso, ele realiza uma cimentação da restauração no local.

É importante tomar cuidado nesse procedimento, já que, na maioria dos casos, o material é mais resistente que o dente da pessoa. Por isso, é bom ser cauteloso para que o ajuste seja bem-feito e não traga nenhum tipo de desgaste. Para a realização da técnica, os materiais mais utilizados são: porcelana e cerômero.

Grande precisão

A tecnologia CAD/CAM é uma das responsáveis por permitir a produção do dente no consultório e realizar o procedimento no mesmo dia. Tudo isso acontece por meio de um scanner intraoral que analisa o dente que precisa ser restaurado e os que estão em volta.

Depois de definir os detalhes, o aparelho já produz a restauração e o encaixe pode ser feito com a fotopolimerização. Incrível, não é mesmo?

Como o procedimento é feito

Quando o assunto é o melhor caminho a seguir, Flávio também destaca suas técnicas na restauração com grande precisão. “Nós moldamos e copiamos o buraco da boca do paciente. Depois, utilizamos o silicone como modelo. Ele endurece rapidamente (enquanto o gesso demora muito tempo). Já sai com o silicone e, em cima dele, pegamos um lego e fazemos o processo de troquelização, individualizando assim os dentes que vou trabalhar. Essa é a melhor forma de criar um bom ponto de contato, processo importante para o sucesso do procedimento”, revela.

Feito isso, ele termina de fazer a restauração em modelo e cimenta a região. Essa é uma maneira de ter maior agilidade, melhor ponto de contato e, principalmente, polir e adaptar a peça melhor na estrutura dentária.

Como saber qual técnica seguir?

O dentista precisa estar muito antenado para escolher com consistência. Para o Dr. João Flávio, por exemplo, é importante analisar com calma, pois nem sempre a idade biológica é condizente com a realidade bucal.

“Muitos dos problemas hoje não têm relação com bactérias, mas sim com a corrosão e o atrito. Os dentes estão se desfazendo por problemas químicos e mecânicos. A melhor forma de tratar isso é com resina composta”, comenta.

Se você ainda não entendeu como esses fatores podem influenciar na situação dos dentes, pense, por exemplo, em uma pessoa que vai na academia e adota uma dieta saudável. Ao chegar lá, ela toma um shake que contém aminoácidos.

Embora não saiba, o ácido amolece o esmalte dentário e entra na parte química. Em seguida, pode ser que ela aperte um dente contra o outro enquanto se exercita. Essa prática destrói tudo — e não tem a ver com bactéria, mas sim com hábitos e estilo de vida.

Como a Yller pode ajudar nesse sentido?

Ter os materiais certos ajuda muito na obtenção dos melhores resultados. Esse é outro aspecto destacado pelo dentista Dr João Flávio. “Com o material Yller, faço uma cópia do protótipo e transfiro para a boca da pessoa, para ver se funcionaria o tratamento.

Eu planejo tudo antes de levar para a boca. Quando coloco, então o paciente sente, e percebe o quanto de estrutura perdeu. Essa prova se chama mockup e, em seguida, vamos para a modalidade restauradora”, ressalta.

Para ele, os materiais da Yller ajudam muito no trabalho. “Hoje, a Yller conta com o melhor material e o melhor custo-benefício do mercado. Eles oferecem facilidade e agilidade, tem uma performance boa e de durabilidade quando comparado com os concorrentes.

O material que eu utilizo, se chama Scan Die e o Reflex Lab. É um silicone para laboratório, mais rígido e que permite a criação de matriz para test-drive, o mockup ou protótipo. Para isso, você precisa da resina bisacrílica, que é a Yprov. Você preenche o molde de silicone e põe na boca do paciente para teste”, conta.

Além disso, existe uma grande variedade de materiais e colorações, além de opções que facilitam o trabalho. “Outro material muito interessante que a Yller disponibiliza e que eu gosto muito é o silicone transparente. Ele me permite fazer cópia de estruturas e eu consigo reproduzir com material fotoativado, pois a luz passa no silicone.

O material fotoativado, que recebe luz para ficar durinho, tem comportamento melhor na boca do paciente. Em vez de fazer a escultura laboratorial, tentar copiar cera, eu faço no momento, rapidamente”, revela.

Depois de ler este artigo e entender um pouco melhor sobre os tipos de restauração dentária e os materiais indicados para cada caso, procure a melhor alternativa e surpreenda seus pacientes. Lembre-se também de ter um olhar criterioso e perceber qual é a necessidade deles.

Se você quer continuar acompanhando os outros conteúdos que temos produzido, então assine a nossa newsletter agora mesmo. Essa é uma forma de não perder nada e se manter atualizado. Nos encontramos por lá!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Johnny Santana

Johnny Santana

Diretor Comercial Yller Biomateriais
postagens recentes

Deixe uma resposta

×