Como calibrar os parâmetros de impressão para sua Resina 3D
Separamos 3 passos principais que podem auxiliar a resolver os principais problemas que ocorrem na impressão 3D.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Em função das inúmeras variáveis envolvidas no processo de impressão 3D, a utilização de uma resina em uma impressora 3D invariavelmente requer uma configuração prévia, com ajustes de parâmetros específicos. Esses parâmetros devem ser observados a fim de se obter uma impressão correta. Caso haja problemas no momento da impressão, separamos 3 passos principais que podem auxiliar a resolver os principais problemas que ocorrem na impressão 3D.

Passo 1. Observar a intensidade de luz requerida

Algumas impressoras, como as LEDs, possuem uma baixa intensidade de luz (menor que 60W), enquanto outras, como as com fonte laser, podem ter potência maior que 200W.Para uma impressão ser bem-sucedida, é necessária uma dose adequada de energia (luz).
Essa dose pode ser calculada pela combinação dos parâmetros potência e tempo. Ou seja, impressoras com menos potência exigirão mais tempo, enquanto que impressoras com mais potênciaexigirão menos tempo.

Passo 2. Observar qual tipo de problema ocorreu com a impressão 3D

Os principais problemas que podem ser observados quando a dose de luz está inadequada são:

2.1. Dose de luz excessiva:

a. Os objetos ficam maiores do que os previstos no arquivo digital
b. Detalhes mais finos não são adequadamente impressos
c. Algumas camadas formam “lascas”para fora do objeto
d. Um fenômeno típico é a “fusão dos suportes”

2.2 Dose de luz insuficiente:

a. Os objetos ficam menores do que o previsto no arquivo digital
b. A impressão do objeto falha parcialmente ou totalmente
c. É comum nesses casos observar material aderido na plataforma e material no fundo do tanque de resina
d. Após a impressão e pós-cura, surgem algumas trincas/rachaduras na superfície do objeto impresso
e. O objeto fica extremamente frágil, quebrando durante a sua remoção da plataforma

Passo 3. Fazer a calibração da impressora 3D

Em função da variedade de impressoras, potências e reatividade das resinas para impressão, é necessário ao menos no primeiro uso os chamados testes de calibração da resina. A seguir, descrevemos um protocolo de calibração que pode garantir resultados de impressão com excelente precisão e definição de detalhes.

PROTOCOLO DE CALIBRAÇÃO DE UMA RESINA PARA IMPRESSÃO 3D

1. Carregue no seu software um arquivo de tamanho conhecido e de fácil mensuração, como um pequeno cubo. Sugerimos a utilização deste arquivo.

2. Selecione a espessura de impressão que você deseja imprimir. Em geral as impressoras imprimem de 25um à 100um por camada.

3. As primeiras camadas de impressão são chamadas de “bottom”. É importante que estas camadas recebam uma grande dose de energia para garantir a adesão à plataforma. Por exemplo, tempos maiores que 30 segundos por camada de “bottom”. Em geral, 2 a 4 camadas de “bottom” são suficientes.

4. Dependendo da impressora, da espessura de camada e da resina utilizada, tempos que podem ir de 1 à 10 segundos de exposição de luz podem ser necessários. Dessa forma é necessário considerar:a. Impressoras com menor potência e/ou camadas mais espessas: iniciar o teste com 10 segundos por camada.
b. Impressoras com maior potência e/ou camadas mais finas, iniciar com 3 segundos por camada.

5. Após o término da impressão, deve-se fazer as seguintes observações:

a. Caso o cubo for totalmente impresso:I. Proceder a limpeza da peça e mensurar os eixos X e Y do cubo
II. Se os dimensionais estiverem maiores do que 10,05 mm significa que o tempo por camada está exagerado. Reduza o tempo de exposição por camada em 1 ou 2 segundos e imprima novamente.
III. Se estiver abaixo de 9,95 significa que houve pouco tempo de exposição por camada. Aumente de 1 a 2 segundos por camada e imprima novamente

b. Caso a impressão do cubo tenha falhado parcialmente ou totalmenteI. Observar se há material aderido na plataforma. Se não houver, significa que houve problema de adesão à plataforma, e é necessário aumentar o tempo de exposição das camadas de “bottom”.
II. Se houver material aderido na plataforma, significa que o tempo de exposição por camada está excessivamente baixo. Aumente o tempo de exposição por camada em 1 ou 2 segundos e realize uma nova impressão.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Fabrício Ogliari

Fabrício Ogliari

Diretor Yller Biomateriais
postagens recentes

Deixe uma resposta

×