Guia completo sobre radiologia digital
Para que você se torne um profissional mais especializado, preparamos este artigo apresentando a radiologia digital e todas as suas vantagens. Continue lendo para entender como ela pode contribuir para o seu trabalho.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Para que os profissionais de saúde obtenham diagnósticos precisos, é necessário realizar exames no paciente, e quanto mais moderna e atualizada for a tecnologia empregada nesses procedimentos, maior será o detalhamento dos resultados, em especial no que se refere a exames de imagem. Nesse ínterim, a radiologia digital veio trazer uma revolução.

Com o surgimento dos computadores e o avanço da tecnologia informática, os setores de saúde também foram impactados positivamente com novos equipamentos e técnicas. Hoje, é possível fazer a captura de imagens muito mais detalhadas e realistas para conhecer ao certo as características de cada paciente.

Isso é fundamental para que hospitais e clínicas ofereçam um atendimento preciso, com a realização de tratamentos mais assertivos. E para que você se torne um profissional mais especializado, preparamos este artigo apresentando a radiologia digital e todas as suas vantagens. Continue lendo para entender como ela pode contribuir para o seu trabalho.

O que é radiologia digital?

Se você observar à sua volta, todo o nosso mundo está se tornando digitalizado. Compras, serviços, comunicação, entre muitos outros aspectos da nossa vida cotidiana migraram para o meio virtual, sendo que os computadores e equipamentos eletrônicos fazem parte do nosso dia a dia.

No setor de saúde, também vemos essas inovações contribuindo de forma positiva com o trabalho dos profissionais. Além de facilitarem a obtenção de diagnósticos mais precisos, elas permitem realizar tratamentos assertivos, porque é possível conhecer exatamente as necessidades de cada paciente.

A radiologia digital, por exemplo, veio trazer uma revolução no campo de exames por imagem. Trata-se de uma técnica que utiliza o computador para visualizar estruturas internas do organismo de um paciente com maior precisão de detalhes.

Essa técnica elimina a necessidade do uso de filmes radiográficos, porque as imagens são enviadas diretamente para o computador. É por isso que ela promove vantagens e benefícios que impactam o trabalho dos profissionais e a saúde dos pacientes.

Conceito

Quando existe a necessidade de observar as estruturas internas dos ossos faciais e da arcada dentária de um paciente, por exemplo, é necessário solicitar um exame de imagem. A técnica mais empregada, ou pelo menos a mais popular, é a radiografia convencional, também chamada de raios X.

Embora seja eficaz, atualmente esse procedimento vem sendo substituído pela radiologia digital, uma evolução nesse tipo de exame que explora a tecnologia da informática para fazer a captura de imagens com alta resolução que podem ser facilmente interpretadas pelos especialistas.

Sua principal característica é a superioridade em relação à técnica convencional, já que traz maior nitidez, contraste e também uma diferenciação de densidades, favorecendo identificar características ou problemas do paciente com mais facilidade e garantindo a certeza do diagnóstico.

Surgimento

Os exames de imagem surgiram no século 19, sendo que a radiografia convencional foi o primeiro método empregado para fazer a captura de imagens internas do organismo humano. Essa tecnologia foi descoberta pelo físico alemão Wilhelm Röntgen, no ano de 1895, embasado em seus estudos sistemáticos da radiação eletromagnética.

Esse trabalho rendeu para o cientista o prêmio Nobel de Física em 1901, e também foi ele quem deu o nome de raios X para esse tipo de exame, fazendo uma simbologia a um tipo de radiação que ainda era desconhecida.

Com o passar do tempo, novas técnicas surgiram, promovendo uma evolução nos exames de imagem. Isso se deu em função da invenção dos intensificadores de imagem e da televisão. Assim, vieram inovações como a tomografia analógica e o tomógrafo computadorizado, que surgiu em 1970.

Mas foi nos anos de 1980 que a radiologia digital começou a ser empregada, acompanhando as novas descobertas e invenções da tecnologia em informática. Quando os computadores surgiram, foi inevitável utilizá-los na área de saúde, já que possibilitaram dar um salto a mais nos exames, evoluindo a radiografia convencional.

Funcionamento

A radiologia digital, assim como a convencional, funciona a partir da emissão de raios X. Entretanto, uma quantidade menor deles é emitida para obter as imagens. Dessa forma, o paciente recebe uma menor carga de radiação ao mesmo tempo em que temos um resultado com maior resolução e detalhamento.

Esses raios X são absorvidos por um sensor digital, nesse caso uma placa de circuitos que é sensível à radiação e pode ser lida posteriormente por um equipamento específico ou enviar as imagens capturadas diretamente para o computador.

Assim, não é preciso utilizar o filme radiográfico, o que agiliza o exame, promove economia de espaço, recursos e ainda reduz o tempo de espera para obtenção do diagnóstico. Sem falar da facilidade de comunicação entre especialistas e a clínica radiológica, porque, como as imagens estão digitalizadas, elas podem ser enviadas por um sistema PACS, utilizado no mundo inteiro para arquivamento de imagens digitais.

Tipos

A radiologia digital pode ser realizada por meio de duas técnicas que se distinguem em relação ao tipo de equipamento utilizado. Os resultados alcançados são os mesmos e as imagens também permanecem no computador, mas chegam até ele de formas diferentes.

Assim, podemos classificar esse tipo de exame radiográfico em CR, que é a radiologia digital indireta ou computadorizada, e a DR, radiologia digital direta. A seguir, explicamos mais detalhadamente sobre cada um deles.

Radiologia digital CR

O equipamento utilizado para fazer a radiologia digital indireta contém chassi eletrônico, onde fica localizada uma placa de fósforo. Ela é sensível à radiação, sendo que os raios X registram ali as imagens.

Depois de fazer a captura delas, essa placa é colocada em um leitor específico (scanner) para transferir as imagens para o computador. Ela é diferente do filme radiográfico, já que não é descartável e, portanto, utilizada diversas vezes para realização de exames de pacientes diferentes.

Vale lembrar que a radiologia computadorizada foi a primeira versão da digital, caracterizando-se como antecessora dela. Também existe um grande detalhamento e uma boa resolução, porém com a necessidade de fazer o escaneamento da placa.

Radiologia digital DR

A evolução da radiologia computadorizada levou até a digital, que surgiu ao final da década de 1990. Sua característica principal foi a substituição dos chassis eletrônicos por detectores para fazer a captura dos raios X.

Assim, já não há uma mediação, porque as imagens obtidas pelo equipamento agora são diretamente encaminhadas para o computador. Não existe a necessidade de utilizar o scanner para fazer a leitura.

Com isso, conseguimos ter uma agilidade ainda maior na realização dos exames radiográficos, reduzindo o seu tempo de duração. Desse modo, aumentamos a produtividade das clínicas e dos hospitais, favorecendo os diagnósticos.

Quais são as diferenças da radiologia digital para a convencional?

Tanto na radiologia digital como na convencional, conseguimos observar as estruturas internas do corpo do paciente por meio de um método não invasivo. O que diferencia uma da outra são as tecnologias empregadas e também os resultados alcançados.

É válido lembrar que a radiologia convencional é precursora da digital e, portanto, os seus procedimentos um pouco mais arcaicos. De toda forma, ela ainda é utilizada atualmente e continua tendo o seu valor quando não é possível a realização de uma técnica mais moderna.

A seguir, falamos um pouco das características do raio X digital e do convencional para que você compreenda quais são as principais diferenças entre eles.

Digital

Uma característica extremamente positiva desse exame radiográfico é o fato de que, para obter imagens com alta resolução, são necessárias poucas quantidades de raios X. Ou seja, a intensidade deles não precisa ser muito alta, assim, o paciente tem um menor contato com a radiação.

Como esse tipo de energia pode causar problemas quando existe uma intensa exposição a ele, temos esse ganho na saúde do paciente. Também há mais segurança para os profissionais que operam esse tipo de equipamento.

Além disso, as imagens são capturadas em um tempo muito curto, sendo que, em poucos segundos, já conseguimos ter a visualização do quadro do paciente. Esse é um fator muito importante quando existe uma emergência médica, pois ajuda a prestar o devido atendimento em menos tempo.

E não podemos esquecer que essas imagens ficam registradas em um ambiente virtual. Então, existe um menor risco de elas serem perdidas e também o processo de comunicação entre unidades médicas e profissionais é facilitado. Isso permite até mesmo consultar especialistas específicos à distância para ajudar no tratamento de um caso.

Convencional

Apesar de todas as vantagens oferecidas pelos procedimentos digitais, a radiologia convencional tem a sua aplicabilidade e eficácia, apenas se apresentando como um método mais limitado no que se refere à qualidade, agilidade e praticidade.

Afinal, para sua realização, é necessário um equipamento de maior porte e também o uso de filmes radiográficos, que são descartáveis. Para cada exame, é preciso utilizar um, sendo assim, esse tipo de radiografia é menos sustentável e exige uma maior quantidade de insumos.

O paciente também é submetido a uma quantidade maior de raios X, havendo a necessidade de repetição do exame quando existe uma dosagem menor que acabe prejudicando a captura da imagem. Assim, se repetido muitas vezes em um curto espaço de tempo, caracteriza-se como risco para a saúde.

As imagens capturadas têm uma resolução inferior, o que dificulta a visualização de detalhes e também não permite observar variações de densidade. Sendo assim, pode ser difícil realizar o diagnóstico e a imprecisão é maior.

Quais são as vantagens da tecnologia?

Assim como toda inovação, esse tipo de radiografia trouxe diversas vantagens que afetam os setores de saúde de modo geral. Afinal, assim como os exames de imagens são utilizados na área médica, o raio X digital odontológicofavorece os diagnósticos e tratamentos desse segmento.

Por meio dele, o dentista pode conhecer características e a anatomia dos seus pacientes. Fica mais fácil identificar problemas e doenças bucais, bem como tomar decisões mais assertivas sobre os procedimentos adequados em cada caso.

Além disso, a radiologia odontológica digital também traz benefícios para o paciente que, como dito, além de ter a sua saúde preservada, também consegue dar andamento ao seu tratamento mais rápido. E como existe uma maior riqueza de detalhes, o planejamento do seu sorriso é facilitado, conseguindo alcançar resultados mais satisfatórios.

Em seguida, listamos algumas das várias vantagens que essa tecnologia oferece tanto para os pacientes como para os profissionais de saúde e as clínicas. Acompanhe.

Para os pacientes

Pacientes que necessitam de tratamentos odontológicos desejam ter o seu problema resolvido da forma mais rápida possível. Entretanto, exigem qualidade e querem resultados bem próximos da perfeição.

Sendo assim, a radiologia digital traz benefícios para eles, tanto nesse ganho de tempo como também na preservação da sua saúde. Veja as vantagens.

Agilidade

Como dito ao longo do texto, as imagens capturadas pelo equipamento de radiologia digital em poucos segundos estão disponíveis para o especialista analisar. Sendo assim, o exame tem uma curta duração, trazendo maior conforto para o paciente.

Ele também não precisa esperar muito para que o resultado seja emitido e possa se obter um diagnóstico. Então, o seu tratamento se inicia ou continua rapidamente, promovendo mais agilidade para solucionar seu problema.

Diagnóstico preciso

Uma das características que apontamos na radiologia digital foi a alta resolução das imagens que são capturadas pelos equipamentos. Esse é um fator importantíssimo, porque o paciente consegue ter um diagnóstico preciso do especialista, já que ele visualiza as menores características da sua anatomia.

Sendo assim, minimiza-se a necessidade de repetir o exame, o problema é diagnosticado já no primeiro procedimento e as chances de erros são muito menores. Desse modo, os tratamentos são assertivos e o paciente não precisa migrar de um especialista para outro tentando encontrar uma solução ou parecer.

Menor incidência de radiação

As placas eletrônicas utilizadas para realização do exame de radiologia digital são mais sensíveis do que os filmes radiográficos. Sendo assim, é necessária uma quantidade menor de radiação para que as imagens sejam capturadas.

A vantagem para o paciente está, então, no fato de que, ao realizar uma radiografia digitalizada, ele é submetido a uma exposição menor às partículas ionizantes. Desse modo, o impacto para sua saúde é mínimo, tornando esse exame muito mais seguro do que o convencional.

Para os profissionais de saúde e as clínicas

Como não poderia deixar de ser, a radiologia digital também traz inúmeras vantagens para os profissionais e as clínicas que adotam essa técnica. Embora o equipamento possa exigir um investimento maior do que o convencional em um primeiro momento, o custo-benefício alcançado com ele é bem mais expressivo.

Por isso, a adoção desse procedimento impacta de forma positiva o trabalho do profissional, o tratamento oferecido aos pacientes, a rotina da clínica e a produtividade dela. Tudo isso traz mais credibilidade e diferencial, promovendo destaque no mercado. Veja as principais vantagens que listamos a seguir.

Confiabilidade nos resultados

A forma como as imagens são capturadas pelos equipamentos de radiologia digital permite maior fidelidade às características e à anatomia do paciente. Por isso, o profissional pode ter uma maior confiabilidade nos resultados obtidos.

Além de ter a certeza de que as imagens são reais e não deixam margem para enganos, fica mais fácil interpretá-las, identificar problemas e estudar cada caso. Desse modo, os procedimentos e tratamentos que adotam são mais assertivos, porque não existe erro de diagnóstico ou, pelo menos, as chances de isso acontecer são mínimas.

Redução de custos

Como as imagens não precisam ser registradas em filmes radiográficos, existe uma redução de custos na realização dos exames. Afinal, esses dados e essas informações são enviados diretamente para o computador, sem a necessidade de preocupar-se com insumos.

Mesmo que seja adotado um equipamento de radiologia computadorizada, as placas eletrônicas não são descartáveis como os filmes. Sendo assim, ainda que utilizando uma tecnologia menos avançada, o profissional terá retornos financeiros positivos.

Melhor interpretação da imagem

Analisando uma imagem capturada por meio da radiografia convencional podemos perceber que ela não traz exatidão das formas. O contraste também é ruim e não existe uma diferença de densidade entre os tecidos.

Todas essas características dificultam para o profissional fazer a leitura exata do exame. Afinal, não há fidelidade à anatomia do paciente e, em alguns casos, fica difícil identificar possíveis anomalias e problemas que ele esteja apresentando.

Esse é um problema que não acontece na radiografia digital. As suas imagens são muito nítidas e realistas, capturando os mínimos detalhes de densidade e formas. Então, o profissional consegue ter uma visão exata daquilo que seria a anatomia natural e o que não está dentro do adequado.

Agilidade no processamento da imagem

Em um exame de raios X convencional, o tempo de espera para obtenção da imagem no filme radiográfico pode ser de até uma hora. Isso porque o processo de produção é realizado por meio de uma tecnologia menos avançada.

Na radiologia digital, essas imagens são obtidas em poucos segundos quando se trata da técnica direta, que foi explicada anteriormente. Afinal, quase simultaneamente as placas eletrônicas fazem a captura dos raios X e enviam os dados coletados para o computador.

E mesmo no caso da radiografia computadorizada, que é o método indireto, existe maior agilidade em comparação com a técnica convencional. Isso porque os chassis eletrônicos registram as informações e o scanner as lê, só havendo a necessidade de realizar mais esse procedimento, que também é feito em poucos minutos.

Sustentabilidade

Você já refletiu sobre a grande quantidade de filmes radiográficos que são produzidos em uma clínica ou hospital? Além do grande impacto financeiro que a reposição desse material gera, não podemos esquecer que tudo isso passou por um processo de produção e um dia será descartado.

Sendo assim, a radiografia convencional não pode ser considerada como um método sustentável, o que é o oposto da radiologia digital. Essa técnica é ecologicamente correta justamente porque não existe a geração de resíduos para obtenção dos resultados dos exames.

O suporte para leitura das imagens é virtual, sendo assim, não há necessidade de preocupar-se com esses filmes para fazer o registro do exame. Todo o processo acontece por meio do computador, minimizando os impactos ambientais que a atividade poderia causar.

Por essa razão, a adoção dela possibilita que os profissionais de saúde e odontologia façam a sua parte na preservação do nosso planeta, mas ao mesmo tempo soma como ponto positivo. Afinal, demonstra a consciência ambiental do estabelecimento ou do especialista, valorizando a sua imagem no mercado e cativando o público.

Segurança no arquivamento

Documentos físicos precisam estar sempre muito bem organizados e armazenados para garantirmos a sua integridade. No entanto, sempre existe a possibilidade de sofrerem danos, já que estão expostos às agressões do meio externo.

Problemas diversos podem acontecer com os exames radiológicos registrados em filmes. Não podemos esquecer de que se trata de um material muito delicado e de que as imagens sofrem interferência quando submetidas a agentes agressores, como no caso da luz solar.

Além de esses exames ficarem suscetíveis a esses problemas, ainda existe a possibilidade de serem perdidos ou extraviados. Quando isso acontece, é preciso fazer um novo procedimento, o que poderia retardar ainda mais o andamento do tratamento.

Esses problemas não acontecem no caso da radiologia digital, porque as imagens ficam todas registradas em um banco de dados. Sendo assim, estão seguras e protegidas, minimizando as chances de que algo errado aconteça.

E podemos citar outro benefício, que se trata da economia de espaço físico. Exames radiográficos digitais permanecem no meio virtual e não precisam ser arquivados na clínica. Desse modo, milhares deles podem permanecer ali, sem interferir nas dimensões aproveitáveis dos ambientes.

Por todas essas razões é que trabalhar com essa tecnologia apenas traz benefícios para os profissionais, as clínicas e os pacientes de modo geral. É necessário aproveitar essas inovações para manter-se atualizado com o mercado, melhorando a produtividade, a qualidade do atendimento para ter maior credibilidade e destaque.

A radiologia digital é uma das tecnologias que hoje estão em alta também na odontologia e podem facilitar muito o seu trabalho. Por isso, não deixe de desfrutar dos seus vários benefícios e vantagens, para modernizar o seu consultórioe trabalho, mantendo-se competitivo no mercado.

Gostou dessas informações? Então, assine a nossa newsletter para receber assuntos interessantes como este diretamente em seu e-mail.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Johnny Santana

Johnny Santana

Diretor Comercial Yller Biomateriais
postagens recentes

Este post tem 2 comentários

  1. Qual o principal fator de qualidade da imagem digital e como ele se caracteriza na imagem?

    1. Olá Wysley, tudo bom? Na área digital um dos principais fatores é o voxels, ele se caracteriza na imagem através dos vetores gráficos, representando 3 dimensões.

Deixe uma resposta

×