Precificação de serviços odontológicos: saiba como montar sua planilha de preços
O que você considera ao precificar seus serviços odontológicos? Confira alguns fatores que influenciam na planilha de preços para não cometer erros.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A precificação de serviços odontológicos é essencial para garantir a sobrevivência da clínica no mercado. Ela também define a renda do profissional e influencia na aceitação do público, por isso, precisa ser muito bem calculada.

No entanto, precificar os serviços pode ser um desafio para o dentista e gerar muitas dúvidas. Afinal, o que deve ser considerado? Quais fatores influenciam no preço e devem ser computados na planilha do consultório?

Realmente pode ser difícil definir esses valores, mas não é impossível fazer uma precificação justa que cubra as despesas, traga lucros e seja atrativa para os pacientes. Por isso, neste artigo, apresentamos os fatores que você pode considerar e falamos um pouco sobre a importância da correta precificação. Continue lendo para ter ainda mais sucesso com sua clínica!

Qual a importância da correta precificação de serviços odontológicos?

Toda empresa precisa definir um valor para os produtos ou serviços que oferece, e isso não é diferente para as clínicas odontológicas. O profissional também deve definir o valor dos seus procedimentos para criar sua planilha de preços.

Mas é preciso fazer a correta precificação de serviços odontológicos porque ela garante a lucratividade da clínica, a cobertura de todos os seus gastos, a renda do profissional e ainda influencia na aceitação e satisfação do público.

Quando os valores praticados são muito baixos, existe o risco de não conseguir suprir as necessidades do próprio consultório e a empresa ficar no vermelho. Mas se os valores forem muito altos podem tornar o tratamento inviável para os pacientes.

Sendo assim, é preciso saber ao certo o que deve ser considerado a fim de calcular corretamente o valor ideal de cada procedimento. Assim, você garantirá a renda que espera, sua clínica se manterá estável e seu serviço terá uma boa aceitação.

Como precificar corretamente os serviços odontológicos?

Precificar adequadamente os serviços prestados em seu consultório assegura a saúde financeira dele. Se você considerar todos os fatores que influenciam nessa precificação, não cometerá erros na hora de compor a sua planilha. Veja a seguir como fazer um cálculo correto.

Analise o custo mensal do consultório

O consultório odontológico tem os seus gastos e custos mensais que precisam ser cobertos pelas entradas referentes aos serviços prestados. Nessa conta estão envolvidos diversos valores, como aluguel, água, energia elétrica, limpeza, folha de pagamento, entre outros.

Eles impactam o lucro do consultório, portanto, no valor dos procedimentos deve ser computada uma determinada margem que seja referente a esses custos mensais dos quais não é possível fugir. Se eles somarem, por exemplo, R$ 5.000,00 esse valor deve ser diluído nas consultas.

Determine o custo de cada procedimento

Além de ter um custo referente aos recursos básicos do consultório, cada procedimento gera um determinado gasto para o profissional. Afinal, são utilizados equipamentos, materiais e produtos que precisam ser repostos.

Sendo assim, o valor dos serviços prestados também precisa considerar esse custo que cada um deles gera. Portanto, é fundamental determinar quanto cada procedimento custa, ao menos em uma expectativa média, para que você possa embutir essas despesas na precificação.

É muito importante fazer esse cálculo porque cada tipo de atendimento gera uma determinada despesa para o consultório. Uma limpeza, por exemplo, não gasta o mesmo que um tratamento de canal ou uma cirurgia. Então, é preciso calcular o custo para ser justo com o paciente e não gerar prejuízos.

Confira os valores de mercado

Não existe uma regra que determine como deve fazer a precificação dos serviços odontológicos. No entanto, é interessante conferir os valores praticados no mercado para que a sua média não fique muito além da concorrência.

Para saber como os tratamentos estão sendo precificados, você pode consultar os concorrentes e ter como base a planilha disponibilizada por seu Conselho Regional de Odontologia.

Cada um tem uma tabela de valores referenciais para procedimentos odontológicos, com o intuito de ajudar os profissionais a definirem os seus preços. Lembre-se de que nem sempre elas estão devidamente atualizadas, e os custos básicos também variam de acordo com a realidade de cada consultório.

Além dessa referência, você pode consultar a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Odontológicos (CBHPO). Ela traz uma lista de valores para se ter uma referência nacional, com a vantagem de estar constantemente atualizada para você ter uma dimensão mais exata de como está o mercado.

Porém, não se esqueça de que essa é uma estimativa em nível nacional e que os valores variam muito de acordo com cada estado e cidade.

Considere seu público-alvo

Outro fator importante para a precificação de serviços odontológicos é considerar o seu público-alvo. Isso porque o perfil dele ajuda a definir qual valor está disposto a pagar para cuidar de sua saúde bucal.

Se você trabalha com foco nas classes C e D, não pode colocar preços muito altos para os seus serviços, pois isso tornaria inviável o tratamento. Mas, no caso das classes A e B, cujo público tem um poder aquisitivo maior, é possível trabalhar com um valor agregado mais alto, o que aumenta a precificação dos procedimentos.

Defina sua margem de lucro

Não se esqueça de que é da clínica que vem a sua renda, sendo assim, um fator muito importante na precificação de serviços odontológicos é considerar a margem de lucro que você deseja ter, ou seja, seu próprio salário.

Para fazer esse cálculo, você pode determinar, por exemplo, quanto deseja ganhar por hora e o que acredita ser justo de acordo com o tempo e conhecimento investido em cada atendimento. Lembre-se de definir qual é o valor mínimo suficiente para suprir suas despesas pessoais.

Calcule o valor agregado

Os tratamentos e procedimentos odontológicos também podem ter um valor agregado, que faz com que eles tenham um custo mais alto para o paciente. Isso acontece em função dos benefícios e vantagens que a pessoa tem, como é o caso de:

  • um profissional experiente ou de renome;
  • a localização estratégica da clínica;
  • a tecnologia aplicada nos atendimentos;
  • os diferenciais da estrutura do consultório;
  • o tipo de atendimento prestado desde o primeiro contato; entre outros.

Tudo o que traz comodidade para o paciente, segurança e aumenta a qualidade dos atendimentos e tratamentos consiste em valor agregado. Ou seja, é um diferencial, e isso também implica em um valor maior para os serviços prestados.

Como você viu, fazer a precificação de serviços odontológicos não é tão difícil quanto parece. Apenas é necessário considerar os fatores que influenciam os preços para trabalhar com valores que sejam justos para seus pacientes, tragam uma boa margem de lucro e assegurem a saúde financeira do seu consultório para não ter prejuízos e sobreviver ao mercado.

Para ter ainda mais sucesso, é fundamental evitar erros para não desestabilizar sua clínica. Por isso, veja este outro artigo que mostra aqueles mais cometidos, ajudando com que não façam parte da sua rotina.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Patrícia Lameirão

Patrícia Lameirão

Analista de Marketing Yller Biomateriais
postagens recentes
Odontologia
Johnny Santana

Guia completo sobre a odontologia no Brasil

O mercado odontológico tem passado por transformações nos últimos anos. Para não ficar por fora, nada melhor que se atualizar constantemente sobre o tema. Leia este artigo completo sobre o tema e fique informado.

Confira

Deixe uma resposta

×