Aprenda como montar um plano de negócios para clínica odontológica
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Assim como acontece com empresas de todos os setores, é fundamental criar um plano de negócio para clínica odontológica antes de iniciar essa empreitada. Afinal, não podemos nos esquecer de que ela também é um empreendimento, por isso, precisa de estratégias e planos de ação para que sua gestão seja um sucesso.

Esse planejamento é fundamental para prever situações e definir como lidar com elas. Isso evita que problemas ou momentos de crise sejam uma ameaça. Também ajuda a definir investimentos a fim de aumentar cada vez mais a presença no mercado.

Mas é verdade que dentistas não recebem um treinamento administrativo adequado em sua formação, então, é comum que vários profissionais tenham dúvidas sobre esse assunto. Pensando nisso, preparamos este artigo para explicar como fazer um bom plano de negócios para que você comece do jeito certo. Acompanhe!

O que é um plano de negócios?

Quando vamos viajar, fazemos todo o planejamento para que nada fuja do controle, não é verdade? Afinal, não basta definir qual será o destino, também é preciso traçar um roteiro para aproveitar melhor o tempo, analisar quais serão os custos, fazer a contratação de um seguro, entre muitos outros detalhes.

O intuito é que esses dias sejam aproveitados da melhor forma possível com um excelente custo-benefício, e que possíveis problemas sejam resolvidos sem complicação. Assim, esse passeio trará apenas recordações positivas e não fugirá ao orçamento.

Mas não são apenas as viagens que precisam ser planejadas. Tudo aquilo que pretendemos fazer precisa ser pensado previamente, para que seja possível calcular os prós e contras para evitar que os imprevistos não sejam empecilhos ou ameaças. No que se refere ao início de uma nova empreitada, isso é essencial.

O recurso utilizado para fazer o planejamento de uma nova empresa é o plano de negócios. Trata-se de um documento onde ficam registrados todos os detalhes desse empreendimento. São diversos dados que envolvem desde o nome que será adotado até a ação empregada em caso de acidentes ou baixas no movimento, por exemplo.

Ele também serve como uma espécie de manual que, além de ajudar a projetar tudo que se refere à empresa, é consultado para que seja possível tomar as melhores decisões ou traçar estratégias mais eficazes durante a gestão.

Por isso, o plano de negócio para clínica odontológica precisa ser desenvolvido. Ela é uma empresa como qualquer outra e precisará de equipamentos, insumos, fornecedores, ponto fixo, colaboradores, entre outros.

Durante toda a trajetória, ele fará parte de sua rotina as ações de marketing odontológico, do controle financeiro, da gestão de estoque, dos investimentos, entre muitos outros que precisam estar bem definidos para serem executados da melhor forma possível.

Essas informações constam no plano de negócio e orienta o gestor sobre os melhores caminhos a serem tomados. Tudo estará predefinido para que nada fuja do controle e sempre exista uma alternativa que ajude a contornar possíveis problemas, simplificando a gestão do consultório ou clínica.

Qual é a importância do plano para abrir uma clínica odontológica?

Como você viu, o plano de negócio para clínica odontológica é um documento essencial que ajudará a orientar o início do seu empreendimento. Mas não apenas isso, ele servirá também como material de consulta durante toda a sua trajetória no mercado.

Por isso, ele não deve ser elaborado com base em ideias e especulações. É essencial fazer uma análise de mercado e pesquisas para que as informações e dados contidas ali sejam reais e ofereçam um panorama verdadeiro na hora de fazer o planejamento.

O plano de negócio é um documento muito importante, e para que você entenda melhor o que estamos falando, listamos a seguir alguns fatores que atestam essa importância. Confira!

Analisar a viabilidade do negócio

Antes de montar um novo empreendimento, é preciso analisar se ele de fato seria vantajoso. Afinal, serão necessários investimentos, tanto financeiro como de tempo, para reunir toda a estrutura que a empresa precisará para operar.

Sendo assim, a elaboração do plano de negócio possibilita estudar melhor o mercado e verificar se existe espaço para uma empresa desse perfil no local onde você optou atuar. Dessa forma, você pode analisar a sua ideia e se ela atende às necessidades do público que você pretende atender, ou se são necessárias adequações.

Afinal, nem sempre é preciso desistir de abrir a sua clínica. Em alguns casos é possível fazer adequações e mudanças no plano para ter maiores chances de sucesso, como mudar a cidade sede, atender a um público diferenciado ou, quem sabe, fazer uma especialização para atuar em um segmento diferente.

Definir todo o perfil da empresa

O plano de negócio para clínica odontológica também possibilita definir o perfil da sua empresa. Isso porque nele ficam estabelecidos detalhes importantes, como a quantidade de sócios, a missão, o regime tributário, a precificação dos serviços, o número de colaboradores e até mesmo como será realizado o seu plano de marketing.

Tudo isso é muito importante porque ajuda a construir não só a estrutura da clínica, mas também a sua identidade. Essa imagem deverá ser trabalhada para atingir o público exato, o que, entre outras questões, ajuda a atrair pacientes.

Outra questão importante é o fato de possibilitar o estudo da concorrência. Ele é essencial porque, dessa forma, você pode conhecer o que as demais empresas que pertencem ao mesmo ramo da sua estão fazendo. Assim é possível construir o seu diferencial oferecendo algo a mais para que os seus serviços sejam atrativos.

Prever problemas e soluções

Você não pode se iludir acreditando que tudo sempre correrá bem e conforme os planos. Tenha consciência de que haverá momentos mais difíceis, desafios a serem vencidos e problemas para solucionar, mas não é por isso que você deva ser pego de surpresa.

Ao elaborar o plano de negócio para clínica odontológica você também deve acrescentar a ele esses possíveis problemas que virá enfrentar ao longo da sua trajetória. Ao mesmo tempo, defina qual será a ação adotada para resolver essas situações.

Algumas questões simples que podem acontecer são a quebra de um equipamento ou maquinário, impasses ou desavenças com pacientes, faturamento menor do que o esperado, entre muitos outros. Planeje o que deverá ser feito nesses casos para ter o suporte do seu plano de negócio a fim de orientar suas decisões da melhor forma possível.

Avaliar resultados

O plano de negócio também contém algumas metas e objetivos que se pretende alcançar em curto, médio e longo prazo. Por isso, ele é um excelente material de consulta e comparação para verificar se a realidade da sua clínica está de acordo com o que você esperava.

Porém, não se esqueça que é preciso ser realista na hora de fazer o planejamento. Assim, estabeleça metas possíveis de alcançar, e também aponte o que é necessário fazer para atingi-las dentro do tempo estipulado.

Então, passado esse período, você pode analisar como está a presença da sua clínica no mercado, o que ela já alcançou, o rendimento que tem oferecido, a quantidade de pacientes conquistados, entre muitos outros detalhes que apontarão se você chegou onde desejava.

Guiar estratégias e decisões

Mas a importância do plano de negócio para clínica odontológica vai além da análise, nesse caso. Afinal, ele ajuda a guiar as estratégias que serão adotadas para alcançar resultados ainda melhores, permitindo tomar decisões acertadas e de acordo com o que se pretende alcançar.

Assim, se sua clínica ainda não apresenta o desempenho esperado, o plano permite verificar onde estão as falhas e mostra o que fazer para corrigi-las. Mas se você já atingiu um determinado objetivo, ele mostra o próximo passo e como deve ser dado.

Desse modo, o crescimento da clínica acontece organizadamente e não foge ao seu controle. Você consegue abraçar um mercado cada vez maior, sem perder a qualidade no atendimento e ainda otimizando-o ainda mais ao investir em inovações, tecnologias e conhecimento.

Como montar um plano de negócios passo a passo?

Agora você já sabe o que é um plano de negócio e entendeu a importância dele para montar sua clínica odontológica, certo? Porém, resta descobrir como elaborar esse documento do jeito certo para que ele de fato contenha todos os dados e informações relevantes para o sucesso do seu empreendimento.

Então, veja a seguir o passo a passo para dar início ao seu planejamento e registrar tudo o que você precisa para se orientar. 

1º. Analise o mercado

Esse é o ponto de partida para fazer o seu plano de negócio e, embora tenhamos falado um pouco sobre isso, convém ressaltar que a análise de mercado é fundamental para saber se sua cínica tem chances de sucesso conforme o perfil que você está pretendendo para ela.

Observe se a região não está saturada, conheça os seus concorrentes, estude o seu público-alvo, verifique a disponibilidade de fornecedores, entre outros detalhes. Desse modo, você começará consciente do que enfrentará e o que será preciso para ter destaque. 

2º. Defina sua proposta de valor

A proposta de valor pode ser vista como o seu diferencial. O que faz a sua clínica ser diferente e mais vantajosa para o público do que os seus concorrentes? O que torna os seus serviços especiais e mais benéficos?

Defina qual será a sua proposta de valor a fim de atrair a atenção do púbico, cativar e fidelizar os pacientes. Afinal, oferecer mais do mesmo não fará com que as pessoas prefiram se consultar com você, então, será necessário mostrar para elas por que fazer isso.

3º. Estabeleça metas

Onde você pretende chegar com a sua clínica odontológica? Certamente você tem metas e objetivos, sejam eles para alcançar credibilidade como profissional, ter um determinado faturamento ou até mesmo abrir novas unidades no futuro.

Essas metas devem estar estabelecidas e, preferencialmente, com um tempo determinado para que se tornem realidade. Junto delas devem constar as estratégias e ações que serão necessárias para chegar até lá. Mas não se esqueça de que tudo isso precisa ser uma realidade palpável.

4º. Defina quais os parceiros estratégicos

A parceria com outros profissionais e empresas será indispensável, porque não é possível trabalhar sozinho. Você precisará de bons fornecedores de equipamentos, materiais e insumos, bem como de clínicas radiológicas, protéticos e uma network com especialistas do seu ramo e outros da odontologia.

Precisará, também, do suporte de técnicos, contadores, advogados, entre outros que auxiliarão em questões que não são da sua alçada, como a gestão financeira. Então, é necessário fazer uma pesquisa prévia para definir aqueles que têm o perfil ideal para atuar ao seu lado.

5º. Faça um levantamento dos investimentos necessários

Para começar a atuar no mercado é fato que você precisará fazer investimentos. O montante necessário para isso estará definido no plano de negócio da clínica odontológica, que apresentará todos os recursos necessários para montar o seu espaço.

Mas lembre-se de que a conta não se resume ao imóvel, equipamentos e materiais, afinal, nesse cálculo também deve entrar a contratação de colaboradores e o capital de giro, que permitirá a sobrevivência do seu consultório enquanto ele não estiver oferecendo lucros reais.

6º. Escolha seu modelo de negócios

O modelo de negócio permite visualizar com mais facilidade quais seriam as principais funções da sua clínica odontológica. Com ele é possível refletir sobre cada uma delas para saber o que precisa ser feito para atrair mais pacientes e atingir os resultados pretendidos.

Algumas respostas que devem ser respondidas são o que você pretende fazer, para quem você deseja fazer, como isso será feito, quanto será necessário para colocar em prática, entre outras. É um roteiro que pode ser atualizado para que o negócio se torne mais competitivo, e permite fazer reflexões constantes com o intuito de fazer melhorias estratégicas.

7º. Faça um plano de marketing

Apenas montar um espaço não é suficiente para atrair pacientes. Por isso, o plano de negócios para clínica odontológica precisa ter uma sessão que estabeleça quais serão as ações de marketing para atingir o público que se pretende impactar.

Afinal, para cada perfil existe uma estratégia mais eficaz aproveitando os diferentes recursos e ferramentas off e online para divulgar a clínica. Atualmente existem opções como site, blog, redes sociais e vídeos, além daquelas tradicionais, como revistas, jornais, panfletos, rádio, televisão, entre outras.

Lembrando que não são todas que se mostrarão eficazes para sua clínica, pois isso deve ser definido conforme o perfil do seu público. Então, estude essas pessoas, seus hábitos e preferências para elaborar um bom plano de marketing.

8º. Elabore um plano de ação

O plano de ação é aquele que envolve todas as estratégias e decisões que serão tomadas em uma determinada situação ou para atingir um objetivo. Ele é o manual que você seguirá para solucionar problemas ou guiar seus passos na direção de novas metas.

Mas, além de definir o que será feito, o plano de ação envolve o acompanhamento dessas atividades. Afinal, é preciso certificar-se de que tudo está sendo praticado do jeito certo e que é possível chegar cada vez mais perto do pretendido.

Quais são as vantagens de abrir uma franquia?

Além da opção de montar um consultório próprio, os dentistas podem aderir a uma franquia odontológica. Esse modelo de negócio apresenta suas vantagens e é uma alternativa para quem não quer começar do zero.

Afinal, uma franquia já construiu o seu nome no mercado, alcançou credibilidade e permite uma maior segurança com relação ao investimento e retorno. Sendo assim, é interessante considerar se seria mais vantajoso em seu caso. Para isso, listamos a seguir algumas das vantagens de ser um franqueado. Confira!

Ter o suporte de profissionais

Iniciar uma empreitada sozinho implica em tomar todas as decisões. Porém, sendo um franqueado você tem o suporte de especialistas, que ajudarão a elaborar o seu plano de negócio, oferecerão orientação e treinamento. Afinal, é de interesse da franqueadora que você represente bem a marca, mantendo a boa qualidade do atendimento.

Usufruir de um negócio pronto

Embora seja necessário fazer um plano de negócio para instalar uma franquia na região escolhida, você estará representando um negócio já pronto. Pequenos detalhes, como nome, logotipo, cores, entre outros que definem a imagem da clínica já estão prontos, e não será preciso pensar em nada disso.

Representar uma marca conhecida no mercado

Como dito, a franquia já conquistou o seu espaço e tem um nome fortalecido no mercado. Optando por uma respeitável, você associa o seu trabalho a uma empresa influente, o que ajuda a tornar a sua clínica mais competitiva.

Alcançar maiores chances de retorno

Sendo um franqueado, o dentista tem uma vantagem competitiva, porque a marca já conquistou uma boa parcela do mercado. Então, com um nome conhecido entre o público, fica mais fácil atrair pacientes, o que aumenta as chances de obter um retorno rápido do investimento feito.

Contar com um plano de marketing eficaz

É verdade o que dizem, que a propaganda é a alma do negócio, e a sua clínica precisará de divulgação para ter sucesso. Optando por uma franquia, ela já tem um plano estabelecido e os custos costumam ser rateados entre os franqueados da rede. Dessa forma, você também perceberá uma redução significativa dos investimentos nesse setor.

Ter independência financeira e jurídica

Há quem prefira montar um consultório próprio em vez de abrir uma franquia, porque acredita que terá o seu trabalho engessado, mas isso não é verdade. O franqueado tem independência jurídica, com razão social própria, e as operações financeiras são de sua responsabilidade, com uma pequena parcela para a franqueadora.

O que avaliar para decidir entre franquia e negócio próprio?

Tanto a franquia quanto o negócio próprio são duas boas opções para dentistas. No entanto, cada um desses modelos apresenta perfis diferentes, por isso, você pode achar mais interessante um ou outro para iniciar a sua empreitada.

A primeira coisa a fazer é estudar muito bem os prós e contras de cada opção. Tire todas as suas dúvidas sobre a abertura da sua própria empresa, os custos envolvidos na montagem do consultório, as burocracias e os detalhes da contratação de uma franquia.

Depois de conhecer muito bem as duas opções, é hora de considerar alguns fatores para definir em qual modalidade você se encaixa. A seguir, listamos algumas considerações a serem feitas para que você tome uma boa decisão.

Seu perfil empreendedor

Qual é o conhecimento que você tem sobre administração e gestão? Existe interesse da sua parte em se aprofundar nesse campo? Você sente que pode dar conta de tudo sozinho e cuidar de cada detalhe para que sua clínica tenha sucesso?

A resposta para essas perguntas ajuda a definir qual é o seu perfil empreendedor, porque você pode ter um grande talento para começar um negócio do zero e fazer com que ele dê certo, ou não, e precisar de orientação e suporte de especialistas. Nesse caso, seria mais interessante uma franquia.

O valor disponível

Nem sempre o orçamento disponível para começar a clínica do zero é suficiente, sendo necessário calcular muito bem para reduzir os riscos. Há casos em que é preciso começar modestamente, e ainda tendo a consciência de que um negócio próprio costuma ter um retorno mais demorado.

A franquia, ao contrário, costuma onerar menos, ou seja, não será necessário um valor tão alto para começar e você ainda encontrará um negócio pronto. Então, esse modelo pode ser mais interessante para quem não dispõe de grandes quantias ou não quer se arriscar demais.

O mercado da sua região

Analisando as franquias odontológicas que existem, observe em sua região se elas contam com alguma unidade ou não. Isso porque, pode ser que nesse caso o mercado esteja mais propício para receber uma marca consolidada em vez de um novo empreendimento.

Afinal, é preciso ter cuidado para que você não seja apenas mais um, o que representaria uma grande dificuldade para conquistar pacientes, sendo necessário construir um excelente diferencial. Essa não é uma preocupação sendo franqueado.

O que você deseja como profissional

Por fim, você não pode deixar de lado aquilo que deseja para si mesmo como profissional. Afinal, existe uma grande diferença entre montar uma clínica própria, que pode carregar o seu nome, ou então associar o seu trabalho ao de uma marca conhecida.

No primeiro caso, o foco estará em você; como franqueado, a marca é que se destaca, mas o seu nome estará associado a ela, o que também promove credibilidade. De toda forma, tenha em mente como você pretende ser conhecido para alcançar a sua própria realização.

Agora você já sabe como elaborar um plano de negócio para clínica odontológica e conheceu as vantagens de ser um franqueado. Sendo assim, pode decidir com mais cautela como iniciar o seu empreendimento. Se optar por fazer isso sozinho, siga cada uma das etapas para ter maiores chances de sucesso e alcançar credibilidade como profissional.

Gostou deste post e quer ter acesso a mais dicas e informações sobre o assunto? Então assine agora mesmo a nossa newsletter para começar a receber todas as nossas novidades diretamente em seu e-mail!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Johnny Santana

Johnny Santana

Diretor Comercial Yller Biomateriais
postagens recentes
Odontologia
Johnny Santana

Guia completo sobre a odontologia no Brasil

O mercado odontológico tem passado por transformações nos últimos anos. Para não ficar por fora, nada melhor que se atualizar constantemente sobre o tema. Leia este artigo completo sobre o tema e fique informado.

Confira

Deixe uma resposta

×