Adesivos odontológicos: saiba como funcionam e os impactos no mercado
Você já ouviu falar sobre os adesivos odontológicos? Se não, então está no lugar certo! Entenda agora mesmo como eles funcionam e como podem revolucionar a sua rotina de trabalho.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Engana-se quem pensa que adesivo é artefato para brincadeira de criança. Dentro da odontologia, eles são muito explorados para realizar as famosas restaurações dentárias e já se são indispensáveis para muitos dentistas.

Ainda assim, um tema desses pode soar estranho para muitas pessoas, inclusive para os profissionais do ramo. Eles não sabem como os adesivos odontológicos funcionam, as facilidades que podem trazer e, ainda, como movimentam o mercado. Se você quer entender mais sobre o tema, então leia este artigo até o final e informe-se! 

O que são adesivos odontológicos?

O adesivo odontológico é utilizado com o objetivo de aumentar a adesão dos materiais no momento de restauração dentária. A cola presente nele é usada para garantir o sucesso de vários procedimentos, como a reparação de um dente com cárie, lascado, fraturado ou pigmentado.

A prática começou a ganhar força mais ou menos em 1955, quando Buonocore descobriu que poderia condicionar os tecidos para receber a restauração. Desde então, ela se difundiu e ganhou ainda mais espaço. 

Para o Dr. Flávio Rodrigues, essa prática conta com vários processos. “Buonocore pegou o ácido fosfórico e aplicou sobre o esmalte dentário. Ele percebeu que esse ácido removia parte do tecido mineral, mas não alterava a estrutura do dente. Eram criados microporos para receber uma cola. Então ele causava microporos com esse ataque ácido e desenvolveu uma cola, sabendo que assim conseguiria aderir as coisas ao dente”, comenta.

Para Flávio, o processo adesivo é uma das etapas mais importantes da odontologia contemporânea. Por outro lado, o dentista precisa estar atento e se atualizar para saber como condicionar os dentes dentro das suas especificidades.

Como funcionam?

Toda restauração direta (feita diretamente na boca) ou indireta (quando a peça é feita fora e depois levada para a boca) exige sistema adesivo. Independentemente do local, é necessário garantir a adesão. “Hoje em dia, os adesivos permitem soluções mais simplificadas e não é mais preciso destruir o dente”, revela Flávio.

Os primeiros adesivos uniam as resinas ao esmalte somente — e muitos profissionais não sabiam como realizar os processos corretamente. O grande desafio é justamente esse: colar o material dentário na dentina, por ser viva e ter fibra colágena e soltar água. Para Flávio, existe a possibilidade de trabalhar com sistemas adesivos também em ambiente úmido e seco. Como os adesivos se desenvolveram, hoje, é possível conseguir estabilidade.

Já vivenciamos a sétima geração dos adesivos. De um modo geral, eles já vêm prontos, ou seja, com uma série de coisas dentro do frasco (como adesivo, primer, filler etc.). Essa é uma forma de simplificar o processo, mas depende do gosto e segurança de cada dentista.

Para que servem?

Como adiantamos, os adesivos chegaram como uma alternativa de tratamento simplificado de restaurações. Ele tem a função de promover resistência à separação de um substrato aderente de um material restaurador (ou de cimentação), distribuir a tensão ao longo da superfície de colagem e, de forma mais óbvia, selar a interface dentária.

Para garantir que eles desempenham esses papéis, os adesivos devem ter alta força de união e uma pequena espessura de camada de adesão. Nada mais natural, já que não se pode colocar uma camada grossa no material, tendo em vista que isso pode comprometer os resultados, principalmente do ponto de vista estético.

Impactos dos adesivos no mercado odontológico

Existem muitos tipos de adesivos odontológicos no mercado, desde os mais básicos aos mais complexos. Como você já sabe que existiram sete gerações de desenvolvimento desse material, então, provavelmente já deduziu que eles evoluíram e, hoje, existem uma série de ofertas disponíveis.

Não dá para negar que o mercado odontológico foi invadido com as possibilidades oferecidas pelos adesivos odontológicos, mas é preciso ter cuidado! Como muitos dos dentistas estão acostumados com outros modelos de restaurações dentárias, nem sempre é fácil para eles a abertura para novos métodos. 

Para garantir o sucesso do tratamento, a grande maioria gosta de acompanhar os resultados por um tempo para perceber se é mesmo confiável e seguro.

Benefícios dos adesivos odontológicos

Os adesivos odontológicos representam uma maneira de simplificar o número de passos clínicos para tratamentos de restauração dentária. A busca por simplificação aliada a bons resultados é uma tendência dos tempos atuais, principalmente se considerarmos a falta de tempo de grande parte dos pacientes.

Os modelos dos adesivos são bem variados — e esse é outro benefício. Afinal de contas, assim o dentista consegue escolher as opções que mais se adaptam ao seu modelo de trabalho e apresentem resultados comprovados.

Por que usar os adesivos no consultório?

Estar atento às novidades do mercado odontológico é uma excelente maneira de posicionar a sua clínica ou consultório como um local antenado para as mudanças. Como você já deve ter percebido, os pacientes estão em busca de bons serviços aliados a alternativas inovadoras.

Além disso, como adiantamos, essa é uma forma de reduzir as etapas dos processos, mas sem perder a qualidade dos resultados. É importante nunca abrir mão desse olhar: os resultados alcançados!

Como escolher o melhor fornecedor?

Se você quer saber como escolher o melhor fornecedor, então deve estar atento a alguns aspectos. Para começar, precisa entender sobre dentina, conhecer muito bem os tecidos dentários e ler a bula que acompanha o material.

Outra dica importante é testar o produto. Como várias empresas trabalham com amostra, uma alternativa é testar como os adesivos odontológicos performam e, então, passar a ter mais confiança. 

“Como oriento um dentista a comprar um adesivo: a primeira coisa é a confiabilidade do mercado. Quanto tempo faz que esse adesivo está sendo vendido? Qual é a margem literária que ele tem com um grau de confiança?”, comenta Flávio. Esse é mais um aspecto que deve ser considerado!

Quais são os diferenciais dos adesivos odontológicos da Yller Biomateriais?

A Yller disponibiliza desde o adesivo mais simplificado até os mais complexos. Flávio já usou os adesivos e compartilha a experiência: “Eu já utilizei, ele colou direitinho e o paciente não voltou. Fiz todo o passo a passo, tudo certinho”.

E tem mais: o desenvolvimento de tecnologias de adesão (que também engloba os adesivos odontológicos) faz parte do DNA Yller. Os pesquisadores têm muito tempo de pesquisa científica e contam com dezenas de artigos publicados (em periódicos nacionais e internacionais). Os adesivos Yller são desenvolvidos com o foco na tríade: elevada adesão, longevidade e biocompatibilidade.

Agora que você já tem em mente um panorama sobre o funcionamento dos adesivos odontológicos, experimente explorar essa facilidade no seu consultório! Lembre-se de que um procedimento desse tipo pode facilitar a sua vida e, de quebra, deixar o seu paciente mais satisfeito.

Caso queria experimentar uma dessas tecnologias de adesão, então entre em contato com a Yller. Ela está há anos pesquisando e desenvolvendo produtos transformadores para melhorar a experiência dos dentistas e pacientes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Johnny Santana

Johnny Santana

Diretor Comercial Yller Biomateriais
postagens recentes

Deixe uma resposta

×